Projeto Eco Engenho (1)

Carpaccio de manga ‘made in Alagoas’ chega ao mercado em 2014

Projeto Eco-Engenho apresenta novidades para a gastronomia alagoana. Você já deve ter encontrado carpaccio de carne ou de salmão em alguns supermercados do Estado, mas já se deparou com carpaccio de manga nas prateleiras? Pois é, a fruta tropical nativa da Ásia (mas que se adaptou muito bem no Brasil desde a chegada dos primeiros colonizadores) vai virar produto na mão dos associados do Projeto Aroeira, do Instituto Eco-Engenho, no período da entressafra da produção da pimenta rosa – o carro-chefe do projeto, lançado em 2012 na cidade de Piaçabuçu (leia mais aqui). De novembro a abril, os produtores da Associação Aroeira trabalham para desidratar a manga, fatiá-la e transformá-la em produto, com foco no mercado gourmert. Depois de colhida, a fruta será cortada com um equipamento laminador. Antes de ser embalada, será adicionado suco de limão (ácido cítrico) para combater a enzima que escurece a manga desidratada. “É uma quantidade pequena, apenas para manter o belo aspecto da cor original”, diz o sócio-fundador do Instituto Ecoengenho, José Roberto Fonseca. Segundo Fonseca, o forno termosolar usado para beneficiar a semente da Aroeira será o mesmo utilizado para desidratar a manga. O primeiro lote do produto deve ficar pronto no final do próximo mês de fevereiro. Durante a sua preparação, toda a associação será treinada para lidar com a nova fabricação. O carpaccio de manga é bastante utilizado por chefs em entradas e para realçar o sabor de saladas.

Deixe uma resposta